And she goes back to black.

AMEI o documentário Amy, do diretor Asif Kapadia, que conta um pouco sobre a vida de Amy Winehouse desde sua adolescência até o dia em que foi levada pelo álcool (pareci minha vó falando agora).Quad_AW_Amy_V-9_OnlineOnly

Eu adoro documentários (esses dinâmicos, não aqueles ao estilo History Channel, mas enfim). Mas apesar de serem, de certa forma, educativos, devemos ter discernimento ao assistir um documentário, já que, por mais que o diretor tenha o intuito de ser imparcial, sempre, SEMPRE vai ser, mesmo que minimamente, tendencioso.

Essa produção, no entanto, se apropria quase que inteiramente de registros pessoais da família. Com muitos filmes caseiros, conversas gravadas e depoimento de amigos e familiares, é quase como se nos sentíssemos presentes ao longo da vida da Amy.

Sua rotina, personalidade e vontades, para mim, foram retratadas de forma muito delicada, mostrando quais eram os untitled-article-1427976208verdadeiros interesses da cantora desde sempre e os prováveis motivos que a levaram ao estilo rebelde. Todos os atos de “loucura” da cantora vinham acompanhados dos fatos que levaram àquele momento.

Como sempre, esse documentário veio cercado de polêmicas, desta vez rs_560x415-150707074646-1024.Mitch-Amy-Winehouse.jl.070715causados pelo próprio pai da cantora. No filme, ele é “retratado” como um dos responsáveis pela decadência psicológica da sua filha, dando prioridades para o show e agenda ao invés da saúde da cantora. Mesmo assim, o amor da Amy pelo pai era muito grande, de forma que ela sempre seguia o que lhe era “aconselhado” pelo pai.

amy-winehouseComo eu disse, documentários são tendenciosos e eu jamais poderia afirmar algo assim, mas tratando-se de uma produção com arquivos pessoais, por mais que a edição tenha o poder de manipular, algumas palavras e atitudes do pai que foram mostradas através de gravações deixa com que seja BEM difícil ficar do lado dele nessa história.

Mas num todo, é muito bonito ver a fragilidade da Amy e perceber que, o que ela realmente amava e se importava, era com a música. Nada além de um bom jazz.tumblr_nonnt1i9dO1r83d7lo4_540

 

Indicações de Amy:

PNG Melhor Documentário em Longa-Metragem

 

 

PNG Bruni.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s