0

Aquela garota…

Um filme delicado.  Tanto no sentido da leveza e sutileza, como no sentido de ter gerado grandes contradições.Eddie-Redmayne-The-Danish-Girl-Poster-002

A Garota Dinamarquesa (The Danish Girl) com direção de Tom Hooper, conta uma história baseada na personagem real Lili Elbe, uma das primeiras trangêneras a realizar a cirurgia de mudança de sexo da qual se tem notícia. O filme é baseado no livro, que é baseado em fatos reais, logo, não se trata de uma biografia realista, mas a essência está ali.

No filme, Einar Wegener (Eddie Redmayne) é um conceituado pintor casado com a também pintora Gerda Wegener (Alicia Vikander). Mesmo sabendo estar no corpo errado, Elinar mantém as aparências e tenta afugentar os pensamentos “confusos”, por sorte pode contar com o apoio e amizade de sua mulher. Quando Gerda pede para que coloque meia calça e saltos, para que possa pintar uma de suas obras (já que a modelo havia faltado), Elinar percebe, com toda a certeza, de que aquele mundo (o feminino) é o que lhe faz bem. A partir daí, começa a se apresentar como Lili em alguns eventos sociais. Mesmo que sua esposa tumblr_nu3yx4nwlP1r83d7lo7_500sinta que está perdendo seu marido, ela sabe o que o faz feliz e faz de tudo para ficar ao lado de Lili, lhe apoiando.

A principal polêmica a cerca desta produção, foi o fato de não terem escolhido uma triz trans para viver uma personagem trans, optando por Eddie. Tudo bem, faz sentido e tem total fundamento essa situação, mas não vou entrar no mérito da questão.

Eddie é um camaleão. Sem exageros e sem uma atuação caricata, Eddie capta a sensibilidade feminina como poucos. Uma mulher tímida, delicada e muito segura de si. Enquanto Elinar, era visível a briga interna da personagem para esconder Lili dentro do pintor renomado/ esposo amoroso. Mais surpreendente ainda quando lembro de seu último papel, ganhador do Oscar de melhor ator, em que interpreta Stephen Hawking em A Teoria de Tudo. De um personagem para o outro a única eddie_redmayne_danish_girl_2semelhança é o talento. Claro que ele já fez personagens terríveis, como o Balem de O Destino de Júpiter, mas ele é digno de misericórdia por ter se submetido àquele roteiro. Enfim…

Já Gerda, ao contrário de seu marido, é retratada de forma masculinizada, agressiva, mas sensível. Dizem que a verdadeira Gerda era bissexual, alguns dizem que era lésbica, por isso manteve o relacionamento com Lili. Mas no filme isso não é passado. Ela é apenas a companheira perfeita que se veste e maquia mil vezes pior do que Lili.

Não me lembro de ter visto Alicia em outro filme, mas sua atuação é impecável. Mais do que merecida a indicação ao sonho de consumo do Léo.

danish-girlO que me chamou a atenção na produção foi que, por mais que o preconceito e total falta de conhecimento sobre a transsexualidade sejam retratados, esse não é o foco. A trama centraliza na relação entre Gerda e Lili e a luta dessa pelo direito de ser quem sempre foi: Lili Elbe.

As duas cenas de nudez no filme são extremamente de bom goto, evocando as diferenças (e semelhanças) entre as curvas e anatomia do feminino e masculino.

Posso ter visto com olhos muito generosos o filme, mas senti certo respeito e até mesmo uma homenagem feita à Lili. Mas não posso, nem poderia, fazer tal afirmação. Só posso afirmar que aproveitei muito o tempo destinado à essa produção. Mais do que válida a pausa para apreciá-la.

 

Indicações de A Garota Dinamarquesa:

PNG Melhor Ator: Eddie Redmayne

PNG Melhor Design de Produção

PNG Melhor Figurino

PNG Melhor Atriz Coadjuvante: Alicia Vikander

 

 

PNG Bruni. 

 

Anúncios